Pensamentos Cotidianos, por André L C Ferreira


31-03-2008 Esses, estes e aqueles… isso!

Saudações, 

Depois de algumas tentativas criativas, definitivamente descobri que a criatividade ficou no bolso da outra calça. Ao invés de forçar a barra da minha mente e tentar fazer uma crítica ou resenha ou qualquer outro texto mirabolante, vou usar este espaço para tratar de mais um assunto técnico, relativo à lingua portuguesa. Fica sendo uma espécie de serviço de utilidade pública, coisa que não existia na minha época de escola (Internet, e uma boa fonte de informação de rápido e fácil acesso).

OBS: Se você não gosta de língua portuguesa, visite meus outros blogs, cujos links estão à direita da sua tela, o que virá a seguir não vai te agradar, sinto muito.

Continuando, um dos assuntos de hoje será o uso correto dos pronomes demonstrativos. Para quem não sabe quem são os ditos cujos, veja o título deste post. Muito prazer, estas são as formas variáveis, mais conhecidas deste tipo de pronome. Também existem as invariáveis: isto, isso e aquilo. Daqui a pouco, veremos como e quando devem ser aplicados.

Freqüentemente, as pessoas se perguntam quando devem usar isso ou quando usar isto, ou ‘quando o objeto a que me refiro está perto, uso esse ou este?’. Confesso que esta dúvida sempre me perseguiu e hoje resolvi que iria colocar este assunto a limpo. Dito e feito. Vamos lá, abaixo o leitor terá um breve panorama de como funciona o pronome demonstrativo:

1. Como já havia dito antes, ele pode ser classificado como variável ou invariável. Os invariáveis são isto, isso e aquilo; os variáveis são este, esse, aquele e suas respectivas flexões (que veremos no decorrer deste texto).

2. Ainda sobre ser variável ou invariável, os pronomes demonstrativos podem ter função adjetiva e substantiva. Neste caso mais complexo, fica a seguinte regra: sempre que os pronomes forem invariáveis, sua classificação será como substantivo; no caso dos variáveis, eles podem ser classificados como ambos, adjetivo e substantivo. A localização na oração é o que determina como será qualificado. Veja os exemplos:

- Esta é minha casa. [esta funciona como pronome adjetivo, vem antes do verbo]

- Minha casa é esta. [esta funciona como pronome substantivo, vem depois do verbo]

3. Os pronomes demonstrativos podem ser divididos em pessoas, primeira, segunda e terceira, sendo que todos possuem seu respectivo variável e invariável. Veja a lista:

- primeira pessoa:
este, esta, estes, estas (variável)
isto (invariável)

- segunda pessoa:
esse, essa, esses, essas (variável)
isso (invariável)

- terceira pessoa:
aquele, aquela, aqueles, aquelas (variável)
aquilo (invariável)

OBS: Não quero insultar a inteligência de quem está lendo este texto, mas acredito que neste ponto – estamos no item 3 – já é possível saber por quê os pronomes são variáveis e invariáveis. Caso não seja, observe que os variáveis se flexionam em gênero (masc. e fem.) e em número (plural e singular). Esta é sua referência. Os invariáveis não aceitam nenhum tipo de flexão. Beleza?

4. Outras palavras podem funcionar como pronomes demonstrativos. Poderemos reconhecer nos mais diversos textos que temos contato que as palavras o, a, os, as, mesmo, próprio, semelhante e tal exercem a referida função. A seguir, veremos os casos:

o, a, os, as exercem a função de aquele(s), aquela(s), aquilo e isso;
ex.: ‘Esta é a casa que comprei, mas não é a que pretendia adquirir’.

- o também pode ter função de isso:
ex.: ‘Embora não o dissessem, iriam votar nele’.

- tal faz função de pronome demonstrativo quando pode ser substituído por este, esse (e suas flexões) e isso:
ex.: ‘Tal fato é digno de reflexão’.

- mesmo e próprio são demonstrativos de reforço, ou seja, sempre se referem ao substantivo ou pronome com o qual têm concordância (parece complicado, porém, não é – veja o exemplo!):
ex.: ‘Ele mesmo resolveu entregar os documentos’. / ‘Ela própria registrou a queixa’.

5. As possíveis flexões dos pronomes demonstrativos variáveis (exceto mesmo, próprio, semelhante e tal) somadas à preposições podem ser configuradas como segue abaixo:

- com a preposição em: neste, nesse, naquele, nisso;
– com a preposição de: deste, dessa, daquele, disto;
– com a preposição a: àquele, àqueles, àquela, àquelas, àquilo.

-x-x-x-x- 

O emprego dos pronomes demonstrativos é um dos assuntos que mais dão trabalho para memorizar (falo por mim, não por mais ninguém – caso o leitor não tenha este problema, acho que está lendo a página errada…) e que acabam gerando confusão na hora de produzir um texto, qualquer que seja o objetivo dele, e terminamos por escrever errado. Para desfazer tal problema, seguirá abaixo uma lista com os usos adequados de cada tipo de pronome demonstrativo:

1. Com relação à posição espacial (genérico, não sideral) com relação às pessoas do discurso:

- os demonstrativos de primeira pessoa (este – e flexões – e isto), indicam proximidade do objeto/pessoa do qual estamos a quem fala. Uma dica é o uso dos pronomes eu, me, mim e comigo, e o advérbio de lugar aqui:
ex.:Esta caneta que está comigo é azul. Este relógio que eu tenho nas mãos é de ouro. Isto que está aqui comigo é um livro.

- os de segunda pessoa (esse – e flexões – e isso), indicam que o objeto/pessoa de que se está falando está próximo da pessoa com quem se está falando. Uma dica é o uso dos pronomes tu, te, contigo e você, vocês, e o advérbio de lugar aí:
ex.:Essa caneta que está contigo é azul. Esse relógio que tu tens nas mãos é de ouro. Isso que está aí contigo é um livro.

- os de terceira (aquele – e flexões – e aquilo), indicam que o objeto/pessoa de que se está falando está distante, não importa o quanto, de ambos os participantes diretos da conversa. Uma dica é o uso do advérbio de lugar ali ou :
ex.:Aquela caneta que está com o aluno da outra sala é azul. Aquele relógio que está na vitrine da loja é de ouro. Aquilo que está ali (ou lá) na mesa é um livro.

2. Também usamos os pronomes demonstrativos para mostrar posição temporal (não de chuva, mas de hora – mais uma piada idiota, mas tudo bem!), determinando proximidade ou afastamento no tempo, em relação à pessoa a quem se fala:

- Novamente, os de primeira pessoa indicam proximidade, ou seja, está perto do momento presente;

- Os de segunda indicam um passado relativamente próximo ao momento da comunicação;

- Já os de terceira posicionam o tempo há certa distância do momento em que está ocorrendo a conversa e o momento ao qual ela se refere, podendo, até mesmo, haver a indeterminação do tempo ou ele ser vago.

3. Para finalizar, os pronomes este e esse (e suas flexões), e isto podem fazer referência a algo que já foi mencionado ou que será em breve:

- este e isto são aplicados quando queremos fazer referência a algo que ainda será mencionado.
ex.: ‘Espero sinceramente isto: que se procedam às reformas’. ‘Estas são algumas características do Romantismo: subjetivismo…’

- esse e isso são utilizados quando nos referimos a algo que já foi dito antes.
ex.: ‘Que as reformas sejam efetuadas rapidamente; é isso que desejo’. Subjetivismo; essa é uma característica do Romantismo’.

- este e aquele são elementos que indicam menor e maior distância, respectivamente, quando nos referimos a algo já passado (fica mais claro no exemplo, veja!).
ex.: ‘Matemática e Literatura são matérias que me agradam: esta me desenvolve a sensibilidade; aquela, o raciocínio’. (esta fala de literatura e aquela de matemática)

Ainda não mencionei as funções destes tipos de pronomes com relação à sintaxe. Como vimos no início do texto, os pronomes demonstrativos podem ter funções de substantivo e de adjetivo. Estas funções nos ajudam a determinar a função sintática deles. Quando o pronome é substantivo, realiza funções de sujeito, objeto direto e/ou indireto, entre outras; quando é adjetivo, trabalha como adjunto adnominal  e perdicativo.

Os exemplos a seguir mostram isso melhor:

- Este livro é de Geografia; aquele, é de Matemática.
(este = pronome adjetivo, faz função de adjunto adnominal – esta função acontece porque ele está ligado como um acessório do sujeito da oração, livro -; aquele = pronome substantivo, faz função de sujeito – como a oração é coordenada, aquele faz função de sujeito porque representa a palavra livro, sujeito da oração anterior)

- Isto é o que você pensa! Ela disse aquilo?!
(isto é substantivo e faz a função do sujeito da oração – apesar de não mencionado, o contexto pode permitir que isto represente outra informação já mencionada anteriormente; aquilo também é um substantivo e faz função de objeto direto – é um objeto direto porque repete alguma informação já implícita no contexto e complementa o verbo como o objeto da conversa)

-x-x-x-x-

Bom, é isso por enquanto. Espero que este texto seja útil para quem busca informações sobre o assunto. Tentei dar o máximo de dicas e de explicações para facilitar o entendimento. Caso fique alguma dúvida, não hesite em entrar em contato.

Um abraço e até o próximo texto!

About these ads

8 Respostas to '31-03-2008 Esses, estes e aqueles… isso!'

Subscribe to comments with RSS ou TrackBack to '31-03-2008 Esses, estes e aqueles… isso!'.

  1. Karina (Ester) said,

    Dré, obrigada pelas dicas. No dia 23 de abril estarei fazendo o teste de proficiência em português e “este” texto me serviu muito…
    Valeu pelas dicas.
    Abraços

  2. arithana said,

    Você é brilhante, gostei das dicas, estou precisando de ajuda para escrever um artigo para conclusão de curso, por isso entrei no site e gostei do que li.Queria escrever como você, só não sei por que não gosta de gramatica.

  3. JOsue de Moura said,

    Olá, André, muito interessante seu blog, parabéns. Gostaria, se possível, que vc me esclarecesse uma dúvida:

    Qual a forma correta: “isso é aguas passadas” ou “isso são aguas…”. Qual a regra pra esse tipo de caso?

    Obrigado, um abraço

    Josué de Moura

  4. Jade said,

    MuitO bOmmm… Sem palavrAs!

    Partiiiii °°º

  5. Aline said,

    Dicas muito boas ! Obrigada por compartilhá-las conosco !! Um dia você poderia fazer , também, um texto como esse sobre preposições =)).

  6. Márcia said,

    Nossa Dé, muito bom mesmo!!!!!
    Tirou as minhas dúvidas.
    Estou estourando de orgulho….. rsrsrsrsrsrsrs

  7. Karina said,

    Gostei muito da explicação, você mensionou bons exemplos. Parabéns!

    • Karina said,

      Gostei muito da explicação, você mencionou bons exemplos. Parabéns!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: