Pensamentos Cotidianos, por André L C Ferreira


14/04/2008 – O mistério dos ‘porquês’

Posted in cotidianos,pensamentos,texto por andre1979 em abril 14, 2008
Tags: , , ,

Bom, depois de pensar em diversos temas interessantes para postar neste blog, concluí que seria uma boa idéia falar um pouco sobre os misteriosos ‘porquês’. Quando usa-se separado ou acentuado, sem acento e junto, as várias formas de uso e suas justificativas. A seguir, tentarei dar alguma idéia ou dica para facilitar a identificação do uso apropriado desta armadilha comum, além de passar um pouco dos conceitos técnicos gramaticais deles. Tentarei exemplificar para facilitar.

OBS: Que fique claro que as informações aqui postadas foram obtidas através de pesquisa em gramáticas, dicionários e no manual de redação e estilo do jornal O Estado de São Paulo, cujo autor faleceu esta noite. Se vale de algo, todo autor, escritor, redator, revisor ou quem quer que trabalhe com produção de textos, em minha opinião, deve ter à mão esta ferramenta. É muito útil e contém uma considerável gama de dicas para quem quer escrever de forma correta. Indico com confiança!

Por que (separado e sem acento)

Quando usar?

Os usos mais comuns do por que são dois. O primeiro é no início das perguntas. – Ex.: Por que você demorou? – O segundo uso é um pouco mais aberto a interpretações. Quando ele estiver indicando uma idéia de razão ou de motivo, com o aparecimento ou não destas palavras. – Ex.: Não sei por que razão ele faltou. Ninguém sabe por que motivo ele deixou o emprego. Eis por que o trânsito está congestionado. – no caso deste último exemplo, apesar de não aparecerem palavras indicadoras (motivo, razão, entre outras) é claro que o por que indica motivação dentro do contexto. Mais um exemplo para ajudar a entender: Veja por que seu dinheiro está valendo menos. – note que não estamos fazendo uma pergunta, é uma afirmação e tem tom de explicação, indica que a seguir saberemos o motivo pelo qual o dinheiro vale menos. Ficou mais claro? Na seqüência, darei uma dica para ficar mais simples.

Dica

Uma forma bem simples de identificar o uso desta modalidade de ‘porquês’ é a substituição do dito cujo por para que ou pelo qual e seus derivados (pela qual, pelos quais, pelas quais). Veja abaixo os exemplos:

– Todos lutamos por que haja maior justiça social. = Todos lutamos para que haja justiça social.

– Este é o caminho por que seguiu. = Este é o caminho pelo qual seguiu. 

A teoria

No caso de ser possível a substituição do por que por pelo qual e seus companheiros, o que faz função de pronome relativo e por é uma preposição. Quando for um indicativo de razão e estiver na forma de pergunta, no final da sentença (como veremos mais adiante) ou não, o que passa a funcionar como um pronome interrogativo e o por continua como uma preposição.

-x-x-x-

Porque (junto e sem acento)

Quando usar?

Para este tipo, há uma fórmula bem mais simples. Em geral, o porque aparece quando se faz uma pergunta que tem uma idéia de já se saber a resposta. Complicou? Veja o exemplo e creio que ficará mais tranqüilo: Ex.: Você não foi porque choveu? – note que eu sei que choveu e estou supondo que sei que você não foi porque choveu. Melhorou?

Dica

Um outro modo de saber quando usar esta forma é a substituição. Quando for possível aplicar pois, uma vez que, porquanto, pelo fato de ou motivo de que, pode usar o porque (junto e sem acento) sem medo. Veja nos exemplos abaixo:

– Não viajei mais cedo porque perdi o avião. = Não viajei mais cedo pois perdi o avião. = Não viajei mais cedo pelo fato de ter perdido o avião. – neste último caso, houve uma adaptação do verbo para adequar o sentido, mas não perdemos o significado. OK?

A teoria

O porque (junto e sem acento) é uma conjunção explicativa ou causal.

-x-x-x- 

Por quê (separado e com acento)

Quando usar?

Este é o mais simples dos casos. Ele sempre aparecerá separado e com acento quando estiver no final de uma pergunta ou afirmação. Sempre indicará uma questão sobre motivo ou razão, pode indicar dúvida ou não. Veja os exemplos, fica mais fácil:

– Estava triste sem saber por quê. – apesar de ser uma afirmação, expressa-se uma dúvida.

– Vocês brigaram, por quê? – da mesma forma, temos uma interrogativa, porém, expressa-se uma dúvida sobre motivo ou razão.

Dica

Sabendo-se que por que (separado e sem acento) indica um motivo ou razão, ao movê-lo para o final da oração, adiciona-se o acento circunflexo. Tranqüilo?. A melhor dica possível é ver no contexto se quem fala quer saber o motivo ou razão de algo.

A teoria

Seguindo a mesma idéia do por que (separado e sem acento) quando se tratar de uma interrogativa, o que funciona como um pronome interrogativo e o por como uma preposição.

-x-x-x- 

Porquê (junto e com acento)

Quando usar?

O último dos casos descritos também pode ser visto com um dos mais simples. O porquê (junto e com acento) indica sempre uma razão, causa, motivo, pergunta ou indagação. Os exemplos abaixo clarificarão qualquer possível dúvida:

– Não sei o porquê de sua recusa. – neste caso, não se sabe o motivo pelo qual houve a recusa. Sacou o pelo qual? Uma dica fora da dica, eim?

– O diretor não quis explicar os porquês de suas decisões. – mais uma vez, fala-se sobre os motivos ou razões que não se sabe.

– Havia muitos porquês para poucas respostas. – por fim, mais um exemplo que indica razão ou movitos para haver dúvidas.

Dica

Ele sempre substitui alguma informação não apresentada (dúvida), implícita ou não, ou representará alguma informação já dita anteriormente e que está sendo novamente apresentada. Novamente, fique atento ao contexto. Esta forma sempre aparece como motivo ou razão e pode ser substituída por pelo qual e seus familiares. Fechado?

A teoria

A forma porquê, diferentemente das outras formas apresentadas, é um substantivo e sempre terá valor de motivo ou razão.

-x-x-x-

Espero que tenha ajudado a esclarecer mais alguns pontos problemáticos da gramática prática e reforço que estou sempre disposto a ajudar a tirar dúvidas de gramática ou produção de textos. Meu e-mail é alcferreira@gmail.com.

Um abraço e até o próximo texto!

PS: Postei a primeira parte de um conto chamado Caçador no meu outro blog, Canto do Conto. Quem gosta de contos urbanos, de terror e vampiros, confira!

Uma resposta to '14/04/2008 – O mistério dos ‘porquês’'

Subscribe to comments with RSS ou TrackBack to '14/04/2008 – O mistério dos ‘porquês’'.

  1. ninho said,

    obrigado pela dica ela e muito importante para mim!valeu……………..


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: