Pensamentos Cotidianos, por André L C Ferreira


Meu projeto de pesquisa

Olá,

Depois de meses sem novidades, eis que exponho abaixo um dos maiores motivos da minha ausência no blog – meu projeto de monografia.

Estou em fase de produção dos capítulos e pretendo postar regularmente minhas anotações sobre as leituras que estou realizando, então, se for do interesse do leitor acompanhar, sinta-se à vontade!

Caso surjam perguntas a respeito do meu projeto e sobre o tema, postem comentários ou mandem e-mails, por favor.

Até mais!

Projeto de pesquisa

1. Tema:

Os processos de redução de informação nos textos da mídia de entretenimento do Brasil, um estudo sobre resumos e sinopses de aplicação profissional.

2. Problema:

Quando e como são utilizados os tipos/modelos de sumarização de textos conhecidos como resumo e sinopse?

3. Objetivos:

Entre os objetivos desta pesquisa, que será entregue na forma de uma monografia para a conclusão do Curso de Especialização Lato Sensu em Língua Portuguesa, estão a realização de um estudo dos métodos mais utilizados para a sumarização de textos e dos processos cognitivos que envolvem o ato da redução da informação; a identificação dos tipos/modelos de sumarização, como o resumo e a sinopse, que estão presentes em diversas formas na mídia relacionada ao entretenimento no Brasil, como jornais, revistas, portais de Internet e mesmo nas embalagens de CDs e DVDs, e afins; e, por fim, expor e exemplificar as escolhas lexicais e os processos argumentativos utilizados na construção destes textos.

Podem ser classificados como objetivos principais deste projeto a apresentação e a identificação dos modelos de sumarização e sua utilização nas mídias citadas. Já como objetivos secundários podem ser citados a exemplificação de casos em que resumos e sinopses são encontrados na mídia voltada para o entretenimento e a identificação dos processos argumentativos e as escolhas lexicais para a construção dos textos selecionados.

4. Justificativa:

A presença de resumos e sinopses, formas de apresentação de informação semanticamente reduzidas, em publicações e páginas da Internet é cada vez mais constante e necessária. Atualmente, a procura de materiais de fácil acesso e compreensão, aliada à velocidade com que as informações circulam na plataforma on-line, fazem com que os textos produzidos com a meta de informar dentro do ramo do entretenimento sejam cada vez mais sucintos, reduzindo o conteúdo ao mais simples, porém, funcional, conteúdo. A redução das informações contidas em um dado texto, que se apresente também na forma de um filme ou música, entre outros, é um processo comum ao homem, que, em trabalho com as informações, automaticamente as sumariza para um melhor aproveitamento delas em seu cérebro posteriormente. O processo de redução das informações contidas em um filme, livro ou canção pode ter diversos fins dentro da mídia direcionada ao entretenimento no Brasil e é justamente a especificidade deste tipo de trabalho com textos que este projeto de pesquisa visa abordar.

Outro aspecto importante que será abordado por esta pesquisa é a diferenciação entre dois processos similares, contudo, de aplicações diferentes, de sumarização de informações na forma de texto. Resumos e sinopses possuem o mesmo princípio de construção, contudo, suas aplicações práticas diferem segundo os objetivos de seus autores e a mídia em que o material termina por ser publicado ou distribuído. O público-alvo, por exemplo, é um dos fatores que influem diretamente na escolha do tipo/método de sumarização.

5. Fundamentação teórica:

Em um dia comum, além de processar diversas funções e informações recorrentes, o cérebro também fica responsável por administrar e armazenar uma enorme quantidade de informações novas, como notícias que são vistas na televisão, pessoas novas que são conhecidas, até mesmo as previsões meteorológicas e os planos para o final de semana. E não há limites para o processo, o trânsito de novidades e de acessos aos “arquivos” da memória são constantes. Contudo, nem toda a informação precisa ser guardada por completo. Detalhes insignificantes acabam não ficando armazenados no processo de seleção automática que o cérebro faz na hora de colocar a memória para funcionar. Isso é parte do processo cognitivo do ser humano.

Quando lemos um texto ou assistimos a um filme, as funções cognitivas automaticamente entram em operação e dividem a informação que chega por meio de macro-estruturas. Autor desta denominação, van Dijk (1984) afirma que “uma das funções cognitivas das macro-estruturas é a organização, no tratamento e na memória, da informação semântica completa”, o que implica diretamente na necessidade de reduzir o conteúdo informativo que é recebido, de modo que a informação seja mais facilmente armazenada e acessada posteriormente pela memória.

As macro-estruturas são partes de um texto/informação que possuem o mínimo de significado completo. É por meio dessas estruturas básicas que é possível compreender plenamente, mas com o mínimo de dados, tudo o que está envolto na semântica daquilo que se teve como fonte original de informação. No entanto, antes de proceder para os processos de redução, ou sumarização, das informações, faz-se necessária uma breve passagem significado de “texto” e pela organização textual, explicando a estrutura de um material coerente e coeso, peça fundamental para haver a comunicação com sucesso. Uma definição interessante e aplicável a este projeto sobre o termo “texto” é feita por Guimarães (2005, p.14), indicando que “texto designa um enunciado qualquer, oral ou escrito, longo ou breve, antigo ou moderno”, entre outras conclusões pertinentes a esta pesquisa.

Um pressuposto para a organização e sumarização bem-sucedidas das informações é que o produto do processo referido seja um reflexo de sua origem, logo, para ter-se informações coerentes e de possível compreensão posterior, é fundamental que a fonte seja fidedigna e que não haja falhas em sua construção.

Retomando os processos de redução de informação, parte-se agora para o plano da produção de textos que traduzam o conteúdo reduzido – as ideias essenciais para a compreensão das informações dadas – para a forma escrita. O ponto de partida para esse estudo é a Norma NBR 6028:2003 da Associação Brasileira de Normas Técnicas, “Informação e documentação – Resumo – Apresentação”. A referida norma estabelece o padrão que deve ser seguido na produção de resumos. Segundo o texto da NBR 6028:2003, resumo é “a apresentação concisa dos pontos relevantes de um documento”. Para fins deste projeto de monografia, entende-se como documento a fonte original das informações que serão reduzidas, tanto de origem escrita quanto na forma audiovisual. Continuando o que determina a ABNT, os resumos podem ser divididos segundo sua aplicação, sendo classificados como crítico, indicativo ou informativo. O que os distingue entre si são fatores como autoria (a presença ou não da opinião do autor, que pode ou não ser um especialista), quantidade e qualidade das informações nele descritas e a necessidade de recorrer ao original para mais detalhes acerca do conteúdo.

A partir das definições acima, pode-se expandir a presença dos resumos para um universo de aplicações diferentes, como para fins de estudo, para noticiar ou informar sobre algum fato, ilustrar outras informações, dando base de entendimento para quem as recebe, e até mesmo na hora de seduzir um possível comprador das qualidades do produto sendo vendido. Tomando por exemplo uma reportagem encontrada em um jornal ou revista, títulos, subtítulos e janelas espalhados pela diagramação podem ser considerados pequenas macro-estruturas que estão diagramadas para servirem de prévia ou explicação da informação apresentada ao longo do texto.

A aplicação das técnicas de sumarização funciona de forma diferente quando são comparadas as habilidades de leitura e de escrita. No processo de redução semântica, segundo Machado (2005, p.140), ocorre a sumarização (ou redução) segundo preceitos da estrutura textual: “durante o processo normal de leitura com compreensão, ocorreria um processo de sumarização, por meio do qual o leitor construiria uma espécie de resumo mental do texto, retendo as informações básicas”. Este processo, ainda de acordo Machado (ss.), já estaria internalizado pelo leitor e acontece de forma inconsciente durante a leitura. Quando parte-se para a escrita de um resumo, a aplicação das regras, doravante chamadas de estratégias, conhecidas como apagamento e substituição, torna-se fundamental para que o texto produzido, além de uma redução coerente, seja coeso e não falte com o sentido da informação, considerando o tipo e o gênero da informação de origem e seu destinatário.

Considerando a redução da informação semântica, ou o resumo, uma ferramenta para a transferência de informações, escritas ou orais, na construção de textos, a mídia direcionada para o entretenimento no Brasil pode ser considerada um grande campo para a sua utilização, já que inúmeras publicações, impressas ou virtuais, servem de veículo para o trânsito constante de informação. Todavia, o teor dessas informações, que chegam nas mais variadas tipologias, é focado diretamente no público-alvo que os veículos de comunicação desejam atingir. A partir desse momento, o material produzido, o discurso propriamente dito, passa a ser moldado de forma diferente daquela inconsciente feita durante a leitura e das regras básicas para a apresentação de um resumo, segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas. A manipulação da informação se torna a ordem do dia, não no sentido pejorativo que pode ganhar a expressão, mas na intenção de traduzir a informação-base em algo que chegue com mais facilidade ao seu destinatário e cumpra, além da função social, a meta de fazer contato com um cliente, não mais um mero leitor/receptor. Neste ponto, passa a ser considerada a ideia de sinopse para um resumo textual direcionado para determinados tipos de mídia.

As estratégias utilizadas na produção de um texto de comunicação, segundo o que escreve Charaudeau (2006), estão diretamente ligadas a fatores como o que se informa, para quem a informação se destina e como é entregue esta informação. De acordo com Charaudeau (ss, p.131), “não há captura da realidade empírica que não passe pelo filtro de um ponto de vista particular”, reforçando a tese de que a mão do redator do texto tem peso. A mesma regra vale para o ato de transmitir uma informação reduzida, tanto na forma de um resumo como tendo a sumarização de uma determinada informação diluída em uma propaganda ou reportagem. A persuasão passa a fazer parte também desta equação e tem papel fundamental na escolha do vocabulário e das construções sintáticas do texto. Blikstein (2003) defende que a iconicidade faz parte do processo comunicativo e define como primeira técnica para que a mensagem seja bem recebida a presença da concisão e da economia de palavras. Segundo ele, “nossos melhores escritores aplicaram, com muita habilidade, essa técnica de enxugamento e de visualização do texto”. Por “essa técnica” entende-se a sumarização e o melhor aproveitamento das informações que serão passadas no texto final, processo realizado por meio da substituição e do apagamento (Machado, 2006:140). Já Citelli (2007) faz uso das ideias de Brown (1971), que coloca em pauta alguns recursos básicos de persuasão utilizados pela mídia, especialmente pela propaganda, para provocar a adesão do seu público-alvo, como o uso de estereótipos, a escolha da linguagem mais adequada etc., e discorre sobre como a informação (ou macro-estruturas, segundo van Dijk) é tratada na criação do discurso na mídia.

6. Procedimentos metodológicos:

Este projeto de pesquisa prevê que o trabalho de desenvolvimento da monografia (e sua respectiva pesquisa) será dividido em duas etapas distintas. Ambas podem ser consideradas partes de uma pesquisa qualitativa exploratória. A primeira das etapas consiste em um estudo detalhado sobre os processos de redução de informação semântica, ou sumarização, considerando os processos de leitura e escrita de resumos à luz das teorias propostas pelos autores citados no item anterior e presentes na bibliografia que será detalhada no tópico seguinte.

A segunda etapa da pesquisa para a monografia proposta segue a aplicação das informações levantadas e estudadas na primeira etapa em alguns textos de veículos de comunicação encontrados na mídia direcionada para o entretenimento no Brasil. Não é correto classificar este procedimento como estudo de caso, não é este o objetivo. A intenção desta etapa da monografia é meramente ilustrar alguns casos de textos que sirvam de amostra de informações semânticas reduzidas, tanto na forma de resumos, quanto de sinopses ou resenhas, aplicadas na prática em textos encontrados em publicações impressas e no ambiente virtual. Não serão realizadas análises profundas, apenas apontamentos dos itens enumerados na etapa inicial encontrados nos exemplos anexados, frisando a presença dos elementos da sumarização de textos, orais ou escritos.

7. Delimitação:

Esta pesquisa tem por objetivo manter-se entre as limitações das áreas de Análise do Discurso e da Lingüística Textual, sem adentrar-se ao Ensino, por exemplo, ou qualquer campo relativo à Pedagogia. Não serão realizados julgamentos de valor ou qualquer tipo de avaliação dos exemplos apresentados, limitando-se este estudo apenas à apresentação das características determinadas pela fundamentação teórica e pelos objetivos já descritos anteriormente neste projeto.

Etapas abr/10 mai/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10 jan/11 fev/11 mar/11

Etapa 1 – Pesquisa teórica XXX XXXX

Etapa 1 – Leitura e fichamento XXXX XXXX

Etapa 1 – Redação da etapa 1 XXXX XX

Etapa 1 – Revisão da etapa 1 XX

Etapa 2 – Pesquisa de exemplos X XX XXXX

Etapa 2 – Análise dos exemplos X XXXX

Etapa 2 – Redação dos apontamentos XX

Etapa 2 – Revisão dos apontamentos XX

Redação das considerações finais XXX

Revisão geral dos textos XX

Revisão final XX

Entrega X

8. Cronograma:

O cronograma acima tem por objetivo ordenar e distribuir os esforços de pesquisa e organização da monografia a ser desenvolvida. Cada uma das duas etapas possui partes que podem ser realizadas paralelamente a outras, sem influenciar em seu prazo de término. Para facilitar a leitura e o entendimento da tabela acima, as colunas foram divididas em duas seções principais, sendo a primeira destinada às etapas e suas respectivas fases, e a segunda para os meses de duração dos trabalhos. Cada “X” marcado nas colunas dos meses fazem referência a uma (1) semana destinada dentro daquele mês, atendo-se ao limite lógico de uma a quatro marcações por quadro. Os meses de junho, julho e dezembro de 2010 não foram levados em conta no planejamento, já que são considerados, para fins acadêmico-administrativos, como férias.

9. Bibliografia:

BARROS, Diana Luz Pessoa de. Estudos do Discurso, In FIORIN, José Luiz (org.) Introdução à Lingüística II. São Paulo: Contexto, 2003.

BLIKSTEIN, Izidoro. Técnicas de Comunicação Escrita. São Paulo: Ática, 2003.

BROWN, Ann L. Macrorules for summarizing texts: The development of expertise. Center for the Study of Reading. Illinois University: 1983.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2006.

___________________. Linguagem e Discurso. São Paulo: Contexto, 2008.

CITELLI, Adilson. Linguagem e Persuasão. São Paulo: Ática, 2007.

DIJK, Teun Adrianus van. Texto y Contexto Semántica y pragmatic del discurso. Madrid: Ediciones Cátedra, 1984.

_____________________. Macrostructures: An interdisciplinary study of global structures in discourse, interaction, and cognition. Hillsdale, NJ: Lawrence Erlbaum: 1980.

FIORIN, José Luiz. Pragmática, In FIORIN, José Luiz (org.) Introdução à Lingüística II. São Paulo: Contexto, 2003.

GUIMARÃES, Elisa. A Articulação do Texto. São Paulo: Ática, 2005.

KINTSCH, W, DIJK, T. A, V. Strategies in discourse comprehension. New York: Academic Press: 1983.

KOCH, Ingedore Villaça & TRAVAGLIA, Luiz Carlos. A Coerência Textual. São Paulo: Contexto, 2003.

LEITE, Marli Quadros. Resumo. São Paulo: Paulistana, 2006.

MACHADO, Anna Raquel. Revisitando o conceito de resumos. In: DIONÍSIO, A. P., et al. (Org.). Gêneros textuais e ensino. Rio de Janeiro: Lucerna, 2003.

PINHEIRO, Clemilton Lopes. Organização tópica do texto e ensino de leitura. In Linguagem & Ensino, Vol. 8, No. 1, p149-160. Pelotas: EDUCAT, 2005.

TATIT, Luiz. A Abordagem do Texto, In FIORIN, José Luiz (org.) Introdução à Lingüística. São Paulo: Contexto, 2004.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: